A luz azul está presente em toda a parte, ela pode ser emitida pelo sol, mas é também emitida através de fontes de luz artificial, como é o caso dos aparelhos eletrónicos que utilizamos no nosso dia-a-dia.

O crescente uso de aparelhos eletrónicos, e consequente exposição à luz, tem vindo a promover o estudo do impacto desta luz nas nossas vidas, e os efeitos negativos nos nossos olhos, ao longo dos tempos.

Aspectos a considerar acerca da luz:

A luz azul constitui cerca de um terço da luz visível e fundamental para o bom funcionamento do nosso organismo, permitindo que os vários sistemas executem as suas tarefas de forma eficaz.  No entanto, com o surgimento dos aparelhos eletrónicos, das luzes LED e fluorescentes, a exposição a este tipo de luz cresceu de forma alarmante. Apesar da quantidade de luz emitida por estas fontes artificiais de luz ser menor, quando comparada à que é emitida pelo sol, os períodos de exposição a estas tecnologias é elevada, acabando por ter impactos negativos para a saúde ocular.

 

Espectro da luz:

  • Luz visível – composta por comprimentos de onda que vão desde os 380 nm a 780 nm.
  • Luz invisível – até aos 380 nm e após 780 nm. Estes intervalos contemplam os raios Ultravioleta (UV) e os Raios Infravermelhos (IV). Ambos bastante nocivos para a nossa visão.

 

A luz azul, além de fazer parte do espectro da luz visível, é algo essencial para o bom funcionamento do nosso organismo e na regulação do nosso ritmo circadiano. Ou seja, permite-nos regular o nosso organismo, dando-lhe a informação de que este necessita para que consigamos ter um ciclo de sono saudável, nos períodos corretos do dia. Além deste fator, este luz ajuda-nos em diferentes processos internos, como é o caso do funcionamento cognitivo, equilíbrio do humor e memória.

 

No entanto, nem tudo são pontos benéficos, uma vez que esta luz é composta por dois tipos:

  • Azul-turquesa (benéfica para a nossa saúde)

    • Regula o ritmo circadiano – controla o nosso ciclo de sono-vigília;
    • Aumenta a atividade do cérebro – permitindo melhorar a memória, o humor, o estado de alerta e o próprio desempenho mental.

 

  • Azul-violeta (prejudicial para a nossa saúde ocular)

    • Danifica a retina;
    • Aumenta o risco de degeneração macular relacionada com a idade (DMRI);
    • Aumenta o risco de cataratas e a fotoqueratite (queimaduras solares na córnea), podendo levar à cegueira temporária.

 

Medidas de prevenção para proteger os olhos dos efeitos nocivos da luz azul

  • Diminuição do tempo de exposição a ecrãs de aparelhos eletrónicos, com pausas frequentes;
  • Posicionar o computador com uma distância de segurança, cerca de 60 cm, e posicionado de forma se poder olhar ligeiramente para baixo;
  • Utilizar lágrimas artificiais de forma a prevenir que os olhos fiquem secos;
  • Ativar o filtro de luz azul em todos os dispositivos eletrónicos, sempre que estes o permitam.

 

Como forma de prevenção, algo bastante importante a realizar são os rastreios visuais, de forma a avaliar o estado da sua visão. Deve aconselhar-se acerca das melhores medidas para proteger os seus olhos, dos efeitos nocivos desta luz. Caso trabalhe várias horas em frente a um dispositivo eletrónico, deve também aconselhar-se sobre as melhores lentes a utilizar, para bloquear as radiações emitidas.

 

StumbleUponEmail