Para fazer uma correta avaliação da visão e um diagnóstico 100% preciso, existem alguns exames complementares à disposição dos optometristas e técnicos de ópticas. Cada um desses exames complementares tem a sua função específica, mas todos têm em comum a finalidade de proporcionar uma melhor análise do estado de saúde da sua visão.

Tipos de exames complementares existentes

Um dos mais usuais exames complementares a que os optometristas recorrem é a tonometria, um exame oftalmológico que visa medir a pressão intraocular, isto é, a pressão interior nos olhos. Tal como a pressão arterial, a pressão intraocular é um indicador muito importante para a saúde do organismo.

A pressão ocular tem de ser controlada, sob pena de provocar glaucoma ou até mesmo a cegueira imediata. Por isso, este exame é um dos exames complementares mais importantes e que deve ser efetuado com maior frequência.

Paquimetria permite medir a espessura da córnea

Além da tonometria, também a biometria deve ser efetuada com frequência. Este exame mede o comprimento do globo ocular e dos seus componentes, através de uma sonda com ultrassons. A biometria é o exame mais credível para calcular a graduação das lentes intraoculares a implantar em casos de cataratas.

Existe ainda um terceiro exame entre os mais populares exames de diagnóstico da visão. Trata-se da paquimetria e serve para medir a espessura da córnea com precisão. A paquimetria permite fazer avaliações específicas dos olhos dos pacientes antes de serem submetidos a cirurgias refrativas.

Se precisa de controlar a saúde da sua visão, recorra aos vários exames complementares que temos ao seu dispor e evite complicações futuras. Vigie a saúde da sua visão e mantenha os seus olhos saudáveis durante mais tempo. Não arrisque, consulte um especialista periodicamente.

Para saber mais sobre exames complementares de diagnóstico, contacte um dos nossos assistentes em Setúbal!

StumbleUponEmail